segunda-feira, 25 de abril de 2011

Sathya Sai Baba, guru indiano, morre aos 84 anos


O guru indiano Sathya Sai Baba, um dos mais famosos e influentes líderes religiosos do país, morreu nesse domingo de manhã, 24 de Abril de 2011, aos 84 anos, devido a uma parada cardiorrespiratória.

Por quase um mês, Sai Baba recebeu ajuda para respirar e diálise, enquanto sofria falha múltipla de órgãos, depois de ter dado entrada em 28 de março, no hospital Sri Sathya Sai, no Estado de Andhra Pradesh.

Seguidores começaram a rumar para o templo onde o corpo do guru ficará até terça-feira. O funeral com honras de Estado está planejado para a quarta-feira de manhã.

Considerado por seus fiéis a verdadeira encarnação de Deus, Baba havia sido internado no final de Março de 2011 em um hospital de Puttaparthi, no sul da Índia, com complicações respiratórias e renais.

Sathya Sai Baba tinha muitos seguidores, com templos em cerca de 126 países. Os ensinamentos de Baba, que traziam um misto de crenças hindus e islâmicas, arrebanharam milhões de seguidores em todo o mundo, incluindo importantes líderes políticos, estrelas de cinema, magnatas, artistas e esportistas reconhecidos mundialmente.

O guru era conhecido por sua fala macia, por seus robes de um forte tom amarelo-alaranjado e por seu corte de cabelo em um estilo semelhante ao "afro".

Baba também tinha a habilidade de fazer surgir do nada objetos como relógios e anéis, algo que muitos céticos consideravam simplesmente truques baratos.

REENCARNAÇÃO

Baba nasceu em Puttaparthi em 1926, com o nome de Sathyanarayana Raju. Aos 13 anos, ele disse ser a reencarnação de um líder religioso do século 19, venerado tanto por hindus quanto por muçulmanos, com o mesmo nome que viria a adotar mais tarde.

Ao longo dos anos, os fiéis doaram grandes quantidades de dinheiro à entidade mantida pelo guru. Com isto, a sua cidade natal ganhou uma universidade, um hospital, hotéis e um aeroporto privado, além de um serviço de alimentação para a população mais pobre.

À medida que o guru atraía seguidores, sua cidade Puttaparti cresceu com o templo "Prasanthi Nilayam" construído em 1950, bem como um grande hospital, universidade e escolas, administradas pelo seu Fundo Satya Sai Central Trust, criado em 1972, com doações de devotos. O Fundo, estimado em US$ 8,9 bilhões ou possivelmente mais, também estabeleceu centros espirituais nas cidades de Bombai, Hyderabad e Chennai. Também construiu um hospital em Banglore, onde Sai Baba tinha uma casa de verão, e construiu estrutura de fornecimento de água em diversos Estados ao sul. As informações são da Associated Press.

Ao mesmo tempo em que ganhava fama por seu trabalho espiritual e de caridade, Baba também se envolveu em polêmica. Ele sempre recusou pedidos de cientistas, racionalistas e mágicos para testar os seus "milagres" em ambientes controlados.

Além disto, em um documentário produzido pela BBC em 2004, ex-seguidores acusaram o guru de pedofilia e de abuso sexual. Ele nunca foi investigado ou condenado devido a estas alegações.

"PERDA IRREPARÁVEL"

O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, disse que a morte de Baba era uma "perda irreparável".

"Ele era um líder espiritual que inspirou milhões de pessoas a levar uma vida moral e significativa, mesmo quando elas seguiam a religião de sua própria escolha", afirmou o premiê.

O hospital onde Baba morreu afirmou que o corpo do guru poderá ser visto pelo público entre segunda e terça-feira, antes do funeral, e pediu que os seguidores não corram até o local, para evitar tumultos.

HOMENAGENS

Milhares de devotos já se reúnem em Puttaparthi para o funeral. Cerca de 6 mil policiais foram deslocados à cidade para garantir a segurança, enquanto barricadas foram erguidas em frente ao hospital onde Baba morreu.

O hospital afirmou que o corpo do guru poderá ser visto pelo público entre segunda e terça-feira, antes do funeral, e pediu que os seguidores não corram até o local, para evitar tumultos.

Várias personalidades indianas famosas e importantes já manifestaram seu pesar pela morte do guru em mídias sociais, como o serviço de microblogging Twitter.

Fontes: fórum Krishna-katha; www.publico.pt; www.folha.com; www.estadao.com.br; www.bbcbrasil.com.br; www.hojeemdia.com.br
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário