domingo, 8 de maio de 2011

Dia das Mães Hare Krishna

(Mãe Yasoda vê o Universo na boca de Krishna - Foto divulgação/ ISKCON)

Neste domingo, 8 de maio, rendemos nossas homenagens a todas as mães do mundo e lembramos que elas também ocupam grande destaque na literatura indiana.

(O sofrimento de Mãe Devaki e as bençãos de Krishna  - Foto divulgação/ ISKCON)

O que falar de Devaki, que foi perseguida e teve todos os filhos mortos pelas mãos de seu irmão, o rei Kamsa, que, ambicioso, não aceitou ter um sobrinho como herdeiro do reino de Mathura, atual estado de Uttar Pradesh, na Índia, já que sua esposa era estéril e por isso mesmo não conseguiu engravidar?

Devaki era casada com o sábio Vasudeva. Presos, por ordem de Kamsa, na oitava gravidez Devaki foi tomada de júbilo e ao mesmo tempo de lamentação- júbilo porque o Senhor Visnu estava dentro de seu ventre e lamentação porque tão logo a criança nascesse Kamsa mandaria matá-la. Imagine a dor e o sofrimento de Devaki.

Após revelar seu aspecto divino a Vasudeva e Devaki, Krishna assumiu sua forma humana, um bebê como tantos outros.  Aflito com a situação, Vasudeva sentiu o perigo porque assim que soubesse do nascimento da criança Kamsa mandaria matá-la.  A solução do problema foi dada por Krishna. Ele disse:

 “Sei que vocês estão muito preocupados coMigo e com medo de Kamsa. Por isso ordeno que Me levem imediatamente para Gokula e Me substituam pela filha que acaba de nascer de Yasoda”.

(Nascimento de Krishna - Foto divulgação/ ISKCON)

Para sair da prisão levando a criança, Vasudeva contou com o auxílio dos Devas e seguindo ordens da Suprema Personalidade de Deus, retirou seu filho do quarto onde tinha nascido. Nesse exato momento nascia Yogamaya, a potência interna do Senhor, filha de Yasoda e Nanda Maharaja.

Pela influência de Yogamaya, todos os residentes do palácio de Kamsa, onde Vasudeva e Devaki se encontravam prisioneiros, foram acometidos por um sono profundo. Todas as portas se abriram e Vasudeva conseguiu chegar a salvo com o pequeno Krishna à casa de Nanda Maharaja, em horário que todos dormiam, e sem dificuldade trocou seu filho pela menina que acabara de nascer.  De volta à prisão, silenciosamente, Vasudeva colocou a menina no colo de Devaki.  Assim, Sri Krishna foi criado por pais adotivos: mãe Yasoda e Nanda Maharaja.

(Yasoda, mãe adotiva de Krishna - Foto divulgação/ ISKCON)

Outra história comovente é da rainha Kunti. Suas belas orações ocupam 26 versos do Srimad- Bhagavatam, que servem de fonte de inspiração àqueles, que de alguma forma, almejam o amor puro ao Senhor Krishna. Srila Prabhupada costumava falar muito sobre a rainha Kunti e valorizava suas orações. Prabhupada, inclusive, escreveu o livro “Os ensinamentos da rainha Kunti” e dedicou a ela as seguintes palavras: “ Este é um memorial eterno de uma das maiores heroínas transcendentais da antiga cultura védica, a rainha Kunti.”

(Rainha Kunti)

Kunti era filha de Surasena, grande chefe da dinastia Yadu, da qual Krishna faz parte. Ainda criança, Kunti foi dada a um grande amigo de seu pai que não podia ter filhos. Certo dia, na casa do pai adotivo, houve a visita de um sábio, que ficou satisfeito com o serviço de Kunti e previu que ela teria dificuldade para ter filhos, mas lhe deu a benção  de invocar qualquer semideus e através dele ter quantos filhos desejasse. Kunti acabou se casando com o rei Pandu, irmão de Dhrtarasta, que não podia reinar por ser cego. Pandu aceitou duas esposas- além de Kunti, Madri. O casamento de Pandu com Kunti estava, praticamente, arruinado por causa de uma maldição que o impedia de ter filhos. Pandu se refugiou na floresta com as duas esposas e só aí Kunti revela a ele a benção recebida.

(Kunti invoca semideuses para engravidar - Foto divulgação/ ISKCON)

Atendendo pedido do marido, Kunti tem filhos com semideuses: com Dharma ( o semideus da religião) nasce Yudisthira e chega com a profecia de que será uma criança muito virtuosa,uma pessoa gloriosa, determinada, renunciada e famosa nos três mundos. No segundo filho, Kunti invoca Vayo (semideus do vento), que deu origem ao poderoso Bhima, o mais forte entre os homens. Um dia Pandu procurou um sábio na floresta que aconselhou que Kunti fizesse um ano de austeridade e assim ela obedeceu. Após as austeridades, Kunti invocou Indra para gerar um filho, que foi Arjuna. E de novo veio uma profecia: “Essa criança será tão forte quanto Kartavirya e Sibi (dois reis poderosos dos tempos védicos) e em batalha será incrível como o próprio Indra. Ele espalhará sua fama por todos os lugares e obterá armas divinas”.

Após esses acontecimentos, Madri, a outra esposa de Panda, teve dois filhos: Nakula e Sahadeva. Uma maldição é lançada contra Pandu e ele morre. Madri, arrasada, se joga na pira funerária do marido e também morre. Mãe Kunti fica viúva e com cinco filhos, os gloriosos Pandavas. Os filhos de Mãe Kunti passam por muitos sofrimentos, intrigas, usurpações, ameaças de morte até que são obrigados a viver exilados durante 13 anos em uma floresta.

(Kunti em adoração a Krishna - Foto divulgação/ ISKCON)

A rainha Kunti sofre muito por tudo isso, porém, a maior dor dela consiste na separação de Krishna, seu sobrinho, filho de seu irmão Vasudeva. Kunti tinha uma compreensão muito grande da Verdade Absoluta. Kunti revela devoção e força pessoal à medida em que oferece seu coração e amor aos pés de lótus de Krishna. Mãe Kunti tinha um sentimento genuíno de conhecimento e realizações eternas.

Desejamos às matas, ou matajis como são carinhosamente chamadas as mulheres no Movimento Internacional para Consciência de Krishna, um feliz Dia das Mães. As mulheres Hare Krishna têm um papel muito importante na sociedade moderna e podem, com a Consciência de Krishna, construir um mundo melhor, já que passam para seus filhos uma educação baseada em “ahimsa”, não violência, e respeito a todas as entidades vivas.  Hare Krishna!


Fontes: ISKCON Bahia
.

Compartilhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário