quarta-feira, 27 de julho de 2011

Ordem e Progresso na ISKCON Brasil


Este ensaio está sendo escrito em comemoração ao dia 24 de Julho, dia da incorporação da ISKCON em Nova Iorque por Srila Prabhupada em 1966.

A ISKCON do Brasil vive um momento importante em sua história. Estamos nos estruturando e nos fortalecendo como uma unidade administrativa, não apenas uma coleção de projetos isolados. Os representantes de cada projeto da ISKCON do Brasil se reúnem sobre a bandeira do CGB: Conselho Governamental do Brasil, que é reconhecido pelo GBC internacional (para eles somos o Brazil National Council).

O CGB vem se fortalecendo a quatro anos, (re)começando de um pequeno grupo de líderes, sob a guia e inspiração de Sripad Param Gati Prabhu e Srila Hridayananda Maharaja (ambos co-GBCs para o Brasil na época), como também o contínuo apoio, conselho e entusiasmo de Srila Dhanvantari Swami.

O corpo tomou forma e força, e agora já conta com mais de quarenta membros e várias secretarias ativas (Secretaria da Justiça, dos Jovens, da Comunicação, etc.). O grupo é totalmente democrático. As eleições para os cargos de liderança do CGB são por voto (e todos os membros do CGB podem se candidatar). E as decisões, incluindo as leis colocadas em vigor, são sujeitas a votação, seja em pessoa durante nossas reuniões ou por meio de voto eletrônico online.

Ser membro do CGB traz várias vantagens para as instituições participantes e seus líderes, como também para os devotos em geral, dentre elas:

1) A satisfação de dever cumprido – temos o dever de satisfazer Srila Prabhupada e o GBC, nos organizando de forma correta e profissional.

2) Apoio das Secretarias – projetos agora contam com um apoio jurídico que antes não tinham (pareceres e opiniões de competentes advogados de graça), e os indivíduos da ISKCON (os cidadãos) contam com um sistema formal e organizado para lidar com suas queixas entre pessoas e projetos da ISKCON. Outro exemplo é a Secretaria de Comunicação, onde projetos agora podem contar com uma profissional da área para tirar suas dúvidas e os ajudar e melhor se apresentarem na mídia, para o público, etc.

3) A troca de experiências e apoio mútuo – ser um membro do CGB dá ao representante acesso ao conselho de dezenas dos mais engajados e mais experientes devotos do Brasil. Líderes podem pedir a opinião e tirar dúvidas com outros administradores e líderes da ISKCON do Brasil.

4) Aprendizado – os membros do CGB têm acesso ao aprendizado especial para seu seva. Em breve estaremos oferecendo cursos de liderança, o Conselho Fiscal do CGB está pronto para dar apoio administrativo e contábil, etc.

5) Ajuda nacional – numa situação de emergência projetos do CGB contam com a ajuda, até mesmo financeira, do CGB. Com sua tesouraria agora funcionando, o CGB tem condições de bancar viagens para enviar um representante para ajudar a resolver problemas graves locais, etc.

6) Ajuda internacional – quando um projeto ou líder precisa de um canal para a ISKCON do mundo, agora pode contar com o CGB, que é reconhecido internacionalmente. Devotos que estão querendo visitar projetos da ISKCON de outros países ou querendo referências para conseguir uma posição em um projeto internacional, contam agora com um canal para isso.

Atualmente estamos lidando com dois desafios administrativos: 1) finalizar o processo de incluir todos os projetos da ISKCON do Brasil no CGB. Nenhum projeto pode ficar de fora. Se existe um grupo de devotos se reunindo regularmente e anunciando seu programa, usando o nome de Srila Prabhupada e da ISKCON, então tem que fazer parte do CGB. Simplesmente dizendo, será proibido usar a marca ISKCON, ter um programa se identificando como sendo da ISKCON, sem estar filiado ao CGB, seguindo suas diretrizes. E 2) ver que todos os programas da ISKCON estão corretamente situados em sua constituição civil, com uma pessoa jurídica social ou religiosa sem fins lucrativos, com conta pessoa jurídica no banco e documentação, contabilidade e impostos em dia. A maioria já está, mas ainda faltam muitos.

Recentemente fiz uma pesquisa no Folio sobre o tema, a pedido de Romapada e Hridayananda Maharajas. Eles me pediram para buscar todas as instâncias documentadas onde Srila Prabhupada, nosso fundador-acharya, falava sobre os temas de registro, incorporação, oficialização, etc. dos centros da ISKCON abrindo ao redor do mundo. Eu fiquei impressionado! No final colhi 26 páginas de citações! Praticamente era a primeira coisa que Prabhupada dizia ao receber notícia da abertura de um novo programa da ISKCON. Era tipo “parabéns, que bom” e logo na próxima linha algo como “e você já registrou a ISKCON aí nos moldes do que temos feito em outros lugares?”. É um sintoma de amadorismo e comodismo achar que não é necessário registrar a ISKCON corretamente sob os olhos da sociedade civil, e passa uma péssima imagem de falta de seriedade. Além do que ameaçam nossas conquistas, pois a falta de documentação, desleixos com processos da justiça e o não pagamento de impostos ou o não acatar de decisões e leis do Governo, deixam nossas propriedades e patrimônio sob risco de roubo ou perda.

Convido todos os devotos e seguidores de Srila Prabhupada, que se sentem membros da sua ISKCON do Brasil, a participarem deste esforço, ajudando nossa Sociedade a sair de vez do amadorismo administrativo. Como “cidadão” da ISKCON você tem o direito de perguntar seus líderes em que pé está a adequação civil do projeto do qual participa e o dever de ajudar a ver que tudo está em ordem, como Srila Prabhupada pediu, garantindo assim o progresso da ISKCON do Brasil.

Fontes: ISKCON Bahia; Giridhari Dasa


Compartilhar

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário