terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Vitória na justiça para os devotos da ISKCON na Rússia


O Tribunal daquele país libera o Bhagavad-gita Como Ele É e diz que o texto do livro não é extremista.

O tribunal da Rússia decidiu na última quarta-feira(28 de Dezembro de 2012) não banir o Bhagavad-gita Como Ele É, livro sagrado do Movimento Hare Krishna. O tribunal rejeitou as acusações de que o texto do Bhagavad-gita Como Ele É seja “extremista” e colocou ponto final no caso, que provocou a ira de muitos indianos.

Representantes do Ministério das Relações Exteriores da Índia disseram ter ficado felizes com a resolução sensata do Tribunal russo para uma questão tão sensível.

O Ministério Público da cidade siberiana de Tomsk havia argumentado que a tradução russa do Bhagavad-gita Como Ele É promove “discórdia social” e ódio contra os não crentes, o que provocou protesto na Índia, onde muitos consideraram a proibição uma violação dos direitos indianos na Rússia.

O texto é uma combinação do Bhagavad-gita, uma das escrituras sagradas da Índia, com comentários de AC Bhaktivedanta Swami Prabhupada, o acarya fundador da Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna(ISKCON), que é conhecida como Movimento Hare Krishna.

O Ministério Público havia pedido ao Tribunal para incluir o Bhagavad-gita Como Ele É na lista de materiais extremistas, que proíbe mais de 1.000 textos, incluindo “Mein Kampf”, de Adolf Hitler, livros distribuídos por Testemunhas de Jeová e pelo movimento de Cientologia.

Alexander Shakhov, advogado constituído pelos devotos em Tomsk, disse que o grupo está satisfeito com a resposta do tribunal. "Esta decisão do juiz mostra que a Rússia está se tornando uma sociedade verdadeiramente democrática", disse Shakhov para a agência de notícias Interfax. "Estamos muito animado com essa vitória."

Yury Pleshakov, um porta-voz dos devotos em Moscou, disse que o livro em questão já existia na Rússia há 25 anos e nunca inspirou violência ou atividades extremistas.
"Pelo contrário, este livro ensina a atitude humana para com todos os seres vivos", argumentou Pleshakov.

O julgamento, que começou em junho deste ano e foi seguido da proibição de construção de uma vila Hare Krishna na cidade de Tomsk, foi motivado pela avaliação de professores da Universidade de Tomsk, que concluiram que o Bhagavad-gita Como Ele É tem linguagem forte contra os descrentes e promove o ódio religioso, além de discriminação em função do sexo, raça, nacionalidade e idioma.

Fontes: ISKCON Bahia; Associated Press


Compartilhar

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário