quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Sankirtana com a Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff


Em visita a Belo Horizonte, MG, Brasil, no dia 21 de dezembro de 2012, a presidente Dilma abriu espaço na sua agenda para receber um sankirtaneiro e dele ganhar os livros "Bhagavad-gita como ele é" e "Ciência da Autorrealização", de A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, publicados pela editora Bhaktivedanta Book Trust. Nada poderia ser mais estimulante para os sankirtaneiros de todo o Brasil, que se encontram em plena maratona de distribuição de livros.

O sankirtaneiro é pai de Lucas, 10 anos, e casado com a artista plástica Lis Gualtieri, 30 anos. Quando nasceu chamaram-no de Romero Carvalho. Jornalista mineiro que atua profissionalmente em assessoria de imprensa, e filho do atual vice-prefeito de Belo Horizonte, hoje ele tem 30 anos, chamam-no Sri Krishna Murti Das, e é o presidente oficial do templo Hare Krishna da capital mineira desde 2009. Porém atua na administração da casa desde 2004, quando recebeu iniciação de Parangati Prabhu. Atualmente Sri Krishna Murti também é vice-presidente do Comitê Executivo do Corpo Governamental (CGB) da Sociedade Internacional para Consciência de Krishna no Brasil (ISKCON). E foi na condição de representante da instituição que ele foi recebido pela presidente.


Leia agora o relato de Sri Krishna Murti sobre o encontro com a Presidenta:

Apesar de ser formado em comunicação social, nunca me senti à vontade na distribuição de livros. Não sei se posso dizer que é por timidez, porque gosto de cantar e falar em público faz parte da minha profissão e do meu seva. Mas o fato é que sempre, como dizem os sankirtaneiros, “travo” para distribuir livros.

Portanto, minhas experiências se resumem a dois momentos muito queridos na minha vida, pois, em ambos, senti Srila Prabhupada bem perto de mim. Em 2002, logo após ser eleito, o então futuro Presidente Lula visitou Belo Horizonte e participou de um almoço em um hotel na capital mineira. Meu pai é político desde que eu nasci e naquela época era deputado estadual. Fiquei ao lado dele na porta do hotel, esperando a chegada do Presidente. Assim que Lula apareceu, cercado por um batalhão de jornalistas e assessores, veio direto na minha direção e pude entregar um Bhagavad-Gita Como Ele É em suas mãos, com uma dedicatória em nome de toda a ISKCON, que descrevia aspectos fundamentais do livro.


Srila Prabhupada dizia que um livro da Consciência de Krishna nas mãos de uma pessoa influente é ainda mais poderoso. Independentemente de preferências ou convicções políticas, é inegável o fato de como Lula tornou-se conhecido mundialmente. A atual Presidenta Dilma segue nessa trilha, sendo, inclusive, apontada pela revista Forbes como a terceira mulher mais poderosa do mundo (material), atrás apenas da chanceler alemã, Angela Merkel e da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton. Dilma foi a capa da revista. 

Desde sua eleição, sempre tentei me encontrar com Dilma para presenteá-la, mas a boa oportunidade ainda não tinha surgido. Meu pai já tinha dado a ela uma luminária de sal dos Himalaias. Minha querida Sri Rupa Manjari mataji conseguiu o encontro antes e já havia dado um Bhagavad-Gita para a Dilma. Felizmente, também consegui isso nesta maratona de dezembro, bem no controverso dia 21, em uma rápida passagem da Presidenta em Belo Horizonte. Após a reinauguração do estádio Mineirão, Dilma voltou para a base área do governo, onde eu a esperava ansiosamente na sala de estar, ao lado de algumas pessoas, entre elas meu pai e, coincidentemente, a simpática tia da Dilma, que certamente fará ela ler algo dos livros.


Dilma chegou e o seu cerimonial já a havia comunicado sobre o presente. Ela veio diretamente se encontrar comigo. Fui apresentado pelo meu pai, e dei a ela um “Ciência da Autorrealização”, que, como revelado “confidencialmente” por Bhakti Narasimha Swami, é o livro preferido de Nelson Mandela. Com essa informação dada, ela garantiu que lerá o livro. Posteriormente, entreguei o Bhagavad-Gita, também com dedicatória em nome da ISKCON. Dilma foi bastante simpática, atenciosa, razoavelmente esotérica, elogiando minha “energia e leveza”, e pediu novos encontros.

Eu estava de dhoti, tilaka, kurta e manto, a pedido do meu pai, que, hoje, é vice-prefeito de Belo Horizonte. Ele me queria lá como um membro da ISKCON, mais que como filho apenas. É uma honra muito grande poder representar Sri Guru e Sri Gouranga em todos os locais. Srila Prabhupada queria que cada governante e líder tivesse seus livros, que são a real base para uma verdadeira nova consciência neste mundo. O que eles farão com o conhecimento, não podemos controlar. Mas nunca podemos dar a eles a desculpa de não ter tido acesso à maior joia do universo. Sankirtana-yajna ki jaya!

Fontes: ISKCON BH; Vanavihari


Nenhum comentário:

Postar um comentário