terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

ISKCON corrupta?


Néctar de Prabhupada
Volume 1
Satsvarupa dasa Goswami
Pág. 79 - Texto 34
Entrevistado: Praghosa dasa.

Quando Prabhupada visitava o Havaí, tinha que lidar com pessoas polemistas que se diziam seguidores, ao passo que se rebelavam contra a ISKCON. Prabhupada queria encorajar todos a continuarem cantando Hare Krishna e, ao mesmo tempo, queria esclarecer que seu seguidor sincero trabalha na ISKCON. As perguntas e respostas após suas palestras, no Havaí, volta e meia giravam em torno destes assuntos.

"Que é a ISKCON?" perguntou um rapaz cabeludo e queimado de praia, usando uma bolsa de japa.

"ISKCON?" replicou Prabhupada. "É algo muito simples. Você não sabe?" Então, ele explicou o que cada letra da sigla ISKCON significava. "Nós temos uma sociedade mundial, e por isso dizemos Internacional."

"Bem, o senhor é a ISKCON?" perguntou o rapaz. Aquela era uma pergunta carregada. Os devotos vinham pregando que Prabhupada era a ISKCON, porque não se pode recusar servir à ISKCON e ainda assim afirmar servir à Prabhupada. Porém, o partido anti-ISKCON havia argumentado que Prabhupada e a ISKCON eram diferentes. Prabhupada era puro e transcendental; a ISKCON não passava de uma organização corrupta.

Prabhupada começou a rir. "Eu não sou a ISKCON", disse ele. "Sou um membro da ISKCON". Então olhou para seu discípulo que era secretário do GBC no Havaí. Prabhupada apontou para ele e disse: "Ele é um membro da ISKCON." Então, apontou para o presidente do Templo do Havaí: "Ele também é um membro da ISKCON. Somos todos membros da ISKCON, a Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna". Quase todos os presentes gritaram: "Jaya!" Então Prabhupada olhou para a platéia, sorrindo. Não mais houve represálias à sua resposta perfeita e humilde.


Nenhum comentário:

Postar um comentário